Você sabe quais são os produtos mais vendidos pela Internet?

Muito provável que você acabe assustado com a realidade do mundo virtual ao terminar de ler este texto. Alguns podem não acreditar ou não entender, mas a Internet engana consumidores e vendedores de todas as maneiras.

Segundo um boletim da WBI-Brasil (Fonte: DCI) emitido em 03/09/2007, o faturamento das lojas on-line havia atingido a casa dos R$ 227 milhões de reais, um aumento de 47% com relação ao ano anterior.

“Apenas para lembrar: há mais de 1,4 bilhões de pessoas online (22% da população mundial), mais de 500 mil pessoas que entram na internet pela primeira vez, há mais de 165 milhões de sites. O Brasil já é o sexto país em número de usuários, com mais de 50 milhões de pessoas e é o primeiro no ranking latino. Mais de 24 milhões de brasileiros acessam de suas casas e aproximadamente 37% dos usuários pertencem à classe C. Além disso, é o primeiro país em tempo de navegação, pois a média de tempo gasto pelos brasileiros é de 24 horas/mês.

A previsão de faturamento para o ano de 2008 está em torno de 8,5 bilhões de reais, o que representa 40% a mais do que em 2007, e as mulheres são responsáveis por 50% das compras via internet. Somente no primeiro semestre de 2008 foram emitidos mais de 11 milhões de pedidos online no Brasil, com ticket médio de 324 reais, com 3,5 milhões de novos consumidores. Os produtos mais vendidos são livros, revistas, artigos de informática, saúde, beleza, eletrônicos e eletrodomésticos.“ (Fonte: http://www.nic.br/imprensa/clipping/2009/midia001.htm)

Agora vamos observar a tabela abaixo:

Produtos que mais vendem (1)

Produtos que mais vendem (2)

Notamos que as pesquisas são bastante otimistas com relação às vendas pela Internet. Mas agora vêm aquelas perguntinhas que sempre fazemos e nunca obtemos respostas:

1) Quais são os produtos que realmente vendem pela Internet?

2) Por que eu sempre acho que os outros vendem mais que eu pela Internet?

3) Por que será que meu produto só vende pela Internet quando o cliente já conhece a marca e o modelo pela TV, outdoors ou indicações de outros clientes?

4) Por que será que as pesquisas são tão otimistas quando na verdade, vejo que a cada ano eu vendo ou arrecado menos que o anterior?

Bem, para começar não sou um especialista neste assunto (vendas), por isso, precisei fazer algumas pesquisas e confrontar resultados, e só pude chegar a uma conclusão: baseado em informações tão distorcidas a respeito do que mais vende ou não pela Internet e, associando isto às várias tecnologias empregadas no mundo virtual, a Internet poderia ser considerada um meio “falso” de vendas para qualquer tipo de produto ou serviço.

Por que “falso”?

Na Loja: Quando um cliente sai de casa para fazer uma compra pelas lojas das ruas e shoppings, na maioria das vezes ele sabe exatamente aonde quer ir para comprar determinado produto, e, dificilmente ele troca de opinião sobre produto ou marca ou mesmo deixa de comprar o que precisa para gastar com o que não precisa.

Já na Internet, nem sempre sabemos exatamente em que loja virtual nós vamos comprar, fazemos diversas pesquisas e podemos comprar produtos em outro Estado ou país ou até sem saber a origem do produto. E mais, muitas vezes clicamos em determinada loja virtual a acabamos visitando outras inúmeras lojas que aquecem nossos olhos com outros produtos, e por fim, acabamos comprando outras coisas, fugindo do nosso verdadeiro objetivo de compra.

Então, podemos ver que uma loja virtual (Site de Vendas) pode acabar perdendo a venda de seu produto para outras lojas pelo excesso de links e propagandas que levam a este deslocamento. Por isso, digo que “falso” é o meio em que as propagandas direcionam seus clientes na Internet. O excesso de apontamentos, diversidades, efeitos e poluições visuais, textos e aqueles intermináveis “Pare! Olhe! Escute!” confundem, divergem , assustam e acabam dando rumo diferente do que era objeto da compra daquele cliente.

Portanto, respondendo as perguntas:

1) Os produtos que realmente mais vendem pela Internet são, na verdade, os mais obsoletos, os mais curiosos ou de menor valor financeiro como são os produtos usados, reciclados, cosméticos, eróticos, eletrônicos de pequeno porte ou de entretenimento. Creio que, quem tem interesse em produtos sofisticados, caros ou de maior precisão tecnológica prefere a compra diretamente no fabricante ou no seu representante, ou seja, nas lojas de rua ou shoppings.

2) O fato de acharmos que os produtos dos outros vendem mais é por que estamos sempre preocupados em ver a quantidade que os outros vendem, pois estamos sempre pensando em números (quantidades) e não em valores. Assim, seria válido afirmar que, quem vende mais pela Internet é quem cobra muito pouco ou vende mercadorias “chinfrins” a preço de “banana”.

3) Um fator que agrava as vendas virtuais, é o fato de que as pessoas ainda têm medo de comprar pela Internet, e talvez seja este o pior motivo para explicar vendas tão insignificantes para produtos de grande valor. Não adianta as pesquisas falarem em aumento absurdo de vendas pela Internet, por que a maioria das pesquisas a este respeito me parecem cheias de falhas, pois afinal, como podemos considerar a Internet eficiente se ela ainda depende das propagandas externas e da confiança do consumidor em conhecer a loja antes do modelo virtual?

Portanto, não é a Internet que vende, quem vende ainda é o meio externo que por força da evolução força uma possível venda pela Internet!

4) Estamos falando de crises constantes, e todo ano sempre há algum motivo para se justificar a queda das vendas em algum setor. Como a Internet é um “carro sem freio” onde não sabemos aonde vai parar, é fácil entendermos que qualquer pesquisa ou julgamento a respeito do sucesso de vendas na Internet ainda está muito aquém da realidade de quem vende e de quem compra. Eu entendo como realidade que o sucesso das vendas ainda está no preço praticado e na indicação de quem já se beneficiou com o produto.
Os velhos e criticados panfletos nas ruas dão em média um retorno de 1% (um por cento) das vendas, e muitas empresas sobrevivem com isso. Agora, eu pergunto: pelo investimento e tempo que você já perdeu com o seu Site ou com recursos da Internet tem atingido às suas expectativas com relação a este tipo mercado? Inclua despesas com programadores, provedores, operadoras de cartão, bancos, processos jurídicos e outros. Faça as contas!

Uma loja no centro da cidade está muito longe de ser abatida por qualquer outro meio de venda, pois o consumidor gosta de ver diretamente o que está comprando e de olhar nos olhos de quem vende. Eu ainda acho que ninguém respondeu quais os produtos que de fato mais vendem pela Internet, por que não haverá como obter estes números.

Não sou pessimista, muito pelo contrário, eu tenho plena certeza de que a Internet é fato, é real, é crescimento constante e inevitável. Porém, eu ainda acho que a Internet ainda cresce cega, nua e crua.

* * *

About these ads